Plerixafor para pacientes com indicação de transplante autólogo de células estaminais hematopoiéticas

Ano de publicação: 2016

CONTEXTO:

O transplante de células estaminais hematopoiéticas é um tratamento eletivo, que utiliza a célula progenitora do próprio paciente ou de um doador compatível, para reestabelecimento da hematopoiese normal, após supressão medular com altas doses de quimioterapia. Pode ser classificado como alogênico, singênico ou autólogo, de acordo com o doador, a partir de células obtidas de três fontes: medula óssea, sangue periférico e sangue de cordão umbilical e placentário.

TECNOLOGIA:

Plerixafor.

PERGUNTA:

Existe evidência para o uso de plerixafor em pacientes com indicação de transplante autólogo de células estaminais hematopoiéticas? EVIDENCIAS: Foram encontradas duas revisões sistemáticas que avaliaram o medicamento para mobilização de células hematopoiéticas em pacientes com MM e LNH. Os resultados indicam que a adição de plerixafor ao tratamento com G-CSF aumenta de forma significativa a coleta de células hematopoiéticas em pacientes com linfoma em um menor prazo de tempo, mas que esse resultado é menor quando se avalia pacientes com mieloma. Entretanto, existem outras opções para o aumento das células hematopoiéticas para coleta, como o aumento da dose do G-CSF ou a associação do G-CSF com a quimioterapia, que também se mostraram eficazes. Os resultados de segurança e sobrevida não foram conclusivos. As revisões sistemáticas apresentam como limitações o fato de que poucos estudos avaliaram o uso de plerixafor, sendo que a maior parte dos estudos incluídos contou com financiamento do fabricante do produto.

CONCLUSÕES:

Plerixafor aumenta a mobilização de células estaminais hematopoiéticas em pacientes com linfoma e mieloma, o que também foi observado com aumento de dose do G-CSF ou a associação de G-CSF com quimioterapia para posterior transplante autólogo.

Mais relacionados