Levetiracetam para o tratamento de epilepsia

Ano de publicação: 2017

CONTEXTO:

Uma epilepsia é definida como uma condição neurológica caracterizada por convulsões epilépticas recorrentes. Uma convulsão epiléptica é a manifestação clínica de uma descarga anormal e excessiva de um conjunto de neurônios no cérebro. A epilepsia deve ser vista como um sintoma de uma doença neurológica subjacente e não como uma entidade isolada.

TECNOLOGIA:

Levetiracetam.

PERGUNTA:

Levetiracetam é eficaz e seguro para o tratamento epilepsia? EVIDÊNCIAS: Revisão sistemática com network meta-analyses comparou a tolerabilidade relativa de todos os antiepilépticos em monoterapia para todos os tipos de epilepsia, bem como a sua eficácia na monoterapia da epilepsia focal. Levetiracetam mostrou melhor resultado de eficácia para número de indivíduos livre de convulsão em comparação com fenobarbital e primidona, e para o desfecho descontinuação por ineficácia terapêutica em comparação com pregabalina e gabapentina. Levetiracetam apresentou pior perfil de tolerabilidade quando comparado com clobazam e lamotrigina e melhor perfil de tolerabilidade do que fenobarbital e primidona. Não houve diferenças estatisticamente significativas para eficácia e segurança entre levetiracetam e carbamazepina, fenitoína, valproato, etossuximida, topiramato e vigabrina.

CONCLUSÕES:

Os medicamentos clobazam e lamotrigina, são medicamentos disponibilizados pelo SUS, que não apresentaram diferenças estatisticamente significantes para eficácia quando comparados com o levetiracetam, mas apresentaram melhor perfil de segurança.

Mais relacionados