Ceftriaxona 500mg para tratamento da Neisseria gonorrhoeae resistente à ciprofloxacina

Ano de publicação: 2015

CONTEXTO:

A gonorreia é uma das infecções bacterianas mais frequentes e é causada pela Neisseria gonorrhoeae. Encontra-se atualmente entre as cinco principais infecções sexualmente transmissíveis mais notificadas na população masculina. Dentre as mudanças propostas pelo PCDT para Infecções Sexualmente Transmissíveis - IST em discussão, recebe destaque a alteração do esquema terapêutico atualmente em uso para o controle da Neisseria gonorrhoeae no Brasil, que prevê a substituição da ciprofloxacina 500mg, dose única via oral, pela ceftriaxona 500mg, dose única via intramuscular. Essa alteração tem como principal objetivo conter o desenvolvimento de maior resistência bacteriana aos antibióticos disponíveis na rede pública para o tratamento desse agravo.

TRATAMENTO:

Para a escolha do tratamento da infecção gonocócica a OMS estabelece critérios de eficácia, segurança, custo, adesão e disponibilidade, nos seguintes termos: -Eficácia: os medicamentos utilizados devem ter uma taxa de cura de pelo menos 95%. Esquemas terapêuticos com eficácia entre 85% e 95% devem ser utilizados com cautela e abaixo de 85% são considerados inaceitáveis. -Segurança: a presença de efeitos colaterais é a segunda maior preocupação na escolha dos tratamentos e desempenha papel de extrema relevância em mulheres grávidas ou em aleitamento, portanto, o nível de toxicidade deve permanecer dentro de padrões aceitáveis para a saúde do paciente, do feto e do bebê. -Custo: o custo do medicamento deve ser analisado e comparado aos custos de retratamento, eventuais complicações, e risco de transmissão e resistência. -Observância e aceitabilidade: os tratamentos devem ser de preferência em dose única e administrados por via oral. -Disponibilidade: os tratamentos selecionados devem levar em conta a aprovação sanitária no país. Além desses critérios, devem ser consideradas as co-infecções existentes e o risco de redução da eficácia para outras indicações terapêuticas.

A TECNOLOGIA:

A ceftriaxona é um antibiótico de terceira geração da família da cefalosporina registrado na ANVISA, por meio da Resolução 252 de 5 de março de 2001. O medicamento está disponível no mercado em diferentes apresentações, todas injetáveis, sendo indicado para o tratamento de eventos de sepsemia; meningite; infecções intra-abdominais (peritonites, infecções do trato gastrintestinal e biliar); infecções ósseas, articulares, tecidos moles, pele e feridas; infecções em pacientes imunocomprometidos; infecções renais e do trato urinário; infecções do trato respiratório, particularmente pneumonia e infecções otorrinolaringológicas; infecções genitais, inclusive gonorreia; profilaxia de infecções pré-operatórias; Borreliose de Lyme (Doença de Lyme).

RECOMENDAÇÃO DA CONITEC:

Na 34ª Reunião da CONITEC, realizada no dia 2 de abril de 2015, os membros do plenário deliberaram por unanimidade recomendar a incorporação da ceftriaxona 500mg injetável para o tratamento de gonorreia resistente à ciprofloxacina, conforme normas técnicas definidas pelo Ministério da Saúde. Foi assinado o Registro de Deliberação nº 110/2015.

DECISÃO:

PORTARIA Nº 58, de 1 de outubro de 2015 - Torna pública a decisão de incorporar a ceftriaxona 500mg injetável para o tratamento de gonorreia resistente à ciprofloxacina, conforme normas técnicas definidas pelo Ministério da Saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS.

Mais relacionados