Vacina contra influenza para portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

Ano de publicação: 2012

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma doença crônica e incurável, responsável por elevada morbimortalidade, que acomete principalmente indivíduos com mais de 45 anos, geralmente tabagistas. No Brasil, estima-se que cerca de 12-15% dos indivíduos com mais de 45 anos sejam portadores da doença. Os doentes apresentam sintomas respiratórios persistentes geralmente progressivos, incluindo tosse, expectoração e dispneia, bem como perda da capacidade funcional decorrente de redução da função pulmonar. A doença é caracterizada por períodos intermitentes de agravamento dos sintomas, ditas exacerbações agudas, as quais são a causa mais importante de visitas a emergência e hospitalização em portadores de DPOC. Cerca de 70% dos gastos decorrentes da doença estão relacionados com os episódios de exacerbação aguda que necessitam de internação. A maioria das exacerbações é desencadeada pelas infecções respiratórias adquiridas na comunidade, dentre elas a influenza. O tratamento da DPOC é principalmente sintomático, sendo que a prevenção de exacerbações adquire papel fundamental na redução da morbimortalidade da doença. Estudos clínicos, na maioria observacionais, mostram que a vacina contra influenza diminui o número de exacerbações em pacientes com DPOC. Vacinas com vírus inativados são usadas há mais de 50 anos e têm perfil de segurança. A maioria dos estudos mostrou maior ocorrência de reações adversas no local da aplicação em relação a placebo, mas os efeitos geralmente são leves e transitórios. A redução nas exacerbações ocorre três a quatro semanas após a vacinação. Não se observou aumento nas exacerbações nem piora da dispneia logo após a vacinação. Os membros da CONITEC presentes na 1ª reunião extraordinária do plenário do dia 04/07/2012 recomendaram a incorporação da vacina anti-influenza sazonal para portadores de DPOC, conforme PCDT a ser elaborado pelo Ministério da Saúde. A Portaria SCTIE/MS Nº29, de 25 de setembro de 2012 - Torna pública a decisão de incorporar os medicamentos Budesonida, Beclometasona, Fenoterol, Salbutamol, Formoterol e Salmeterol; a Vacina contra Influenza; a Oxigenoterapia domiciliar e os Exames Diagnósticos para Deficiência de Alfa-1 Antitripsina para o tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica no Sistema Único de Saúde (SUS).

Mais relacionados