Teste de dosagem de adenosina deaminase (ADA) no diagnóstico precoce de tuberculose extrapulmonar

Ano de publicação: 2014

Tecnologia:

Teste de Dosagem de Adenosina Deaminase (ADA).

Indicação:

Diagnóstico de tuberculose pleural.

Demandante:

Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Secretarias de Atenção à Saúde e de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Contexto:

A tuberculose (TB) continua sendo mundialmente um importante problema de saúde, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle. As apresentações extrapulmonares da TB têm seus sinais e sintomas dependentes dos órgãos e/ou sistemas acometidos. Sua ocorrência aumenta entre pacientes com aids, especialmente entre aqueles com imunocomprometimento grave. A tuberculose pleural é a mais comum forma de TB extrapulmonar em indivíduos HIV soronegativos, ocorre mais em jovens, cursa com dor torácica do tipo pleurítica. A tuberculose pleural é causa freqüente de derrame pleural, do tipo exsudato, e deve entrar no diagnóstico diferencial de exsudatos pleurais. Na maioria das vezes, a tuberculose pleural implica numa reação de hipersensibilidade da pleura ao bacilo da tuberculose, o que explica a baixíssima positividade em outros métodos diagnósticos. O Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil elaborado pelo Ministério da Saúde indica o teste ADA como método diagnóstico complementar a ser utilizado nos casos de suspeita de TB pleural, porém este teste não está disponível no SUS. O teste é colorimétrico, de fácil execução e é rápido, não necessitando de outras tecnologias para sua incorporação e nem treinamento especializado.

Pergunta:

O teste de dosagem de ADA é acurado para o diagnóstico de tuberculose em derrame pleural? Evidências científicas: foi elaborado parecer técnico-científico (PTC) pelo DECIT/SCTIE/MS sobre o Teste de Dosagem de ADA, para Diagnóstico Precoce da Tuberculose Pleural, que atualizou outro PTC emitido pelo Hospital João de Barros Barreto da Universidade Federal do Pará. A análise de todos os estudos mostrou heterogeneidade entre eles, porém foi possível recomendar a utilização do teste ADA para diagnóstico precoce de tuberculose pleural. Entretanto, quando o teste ADA for positivo, deverá haver a tentativa de isolamento do bacilo por cultura.

Avaliação de Impacto Orçamentário:

A Secretaria de Vigilância em Saúde levantou os custos para a realização do teste de ADA em 6 laboratórios públicos e privados de referência.

Discussão:

De acordo com as evidências apresentadas no PTC, a ADA quando dosada no líquido pleural é capaz de auxiliar no diagnóstico de tuberculose pleural precocemente, principalmente no que se refere ao seu valor preditivo negativo (em torno de 0,98), o que favorece a exclusão de pacientes suspeitos que não tenham a TB pleural. O teste ADA se trata de método colorimétrico, com técnica de dosagem fácil, rápida, reprodutível e de baixo custo. Sua inclusão no protocolo do SUS possibilitaria a redução do número de exames desnecessários e invasivos, reduzindo gastos e a exposição do paciente ao risco de exames invasivos, visto que um resultado negativo praticamente afasta a possibilidade de tuberculose pleural. No caso de valores considerados positivos devem ser associados a outras evidências ou testes para se confirmar o diagnóstico, como o isolamento do bacilo por cultura. Deste modo, a incorporação da tecnologia deve ser realizada mediante integração da mesma ao protocolo de diagnóstico da tuberculose do Ministério da Saúde, e, além disso, os resultados sobre acurácia do mesmo na prática clínica devem ser monitorados em centros de referência para fins de avaliação do impacto da introdução do método para a saúde da população.

Deliberação final:

o s membros da CONITEC presentes na reunião do plenário do dia 1º de agosto de 2013, por unanimidade, ratificaram a deliberação por recomendar a incorporação do Teste de Dosagem de Adenosina Deaminase (ADA) no Diagnóstico Precoce de Tuberculose Extrapulmonar.

Mais relacionados