Heparinas para infecção por SARS-CoV-2 (COVID-19): revisão sistemática rápida

Ano de publicação: 2020

CONTEXTO:

A heparina tem mostrado propriedades antiinflamatórias ao reduzir a liberação e a atividade biológica da interleucina 6 (IL-6).

OBJETIVOS:

Identificar, avaliar sistematicamente e sumarizar as melhores evidências científicas disponíveis sobre os efeitos das heparinas no manejo de pacientes com infecção por SARS-CoV-2 (COVID-19).

MÉTODOS:

Revisão sistemática rápida (rapid review methodology), com busca realizada em 30 de abril de 2020.

RESULTADOS:

Após o processo de seleção, seis estudos foram identificados: dois estudos de coorte histórico e quatro ensaios clínicos randomizados em andamento. Os dois estudos de coorte eram heterogêneos, incluíram 491 adultos internados com infecção por SARS-CoV-2, que receberam ou não heparina em doses e por durações variadas, em adição ao tratamento de suporte (com ou sem antiviral). O risco de viés destes estudos foi considerado crítico. Os achados sugeriram que o uso de heparina parece (a) reduzir os níveis de dímero D e IL-6, (b) aumentar a concentração de linfócitos e (c) não alterar o tempo de internação hospitalar e a mortalidade.

CONCLUSÃO:

Considerando a limitação metodológica destes estudos e a imprecisão dos resultados, nenhuma estimativa sobre a eficácia e a segurança da heparina pode ser assumida. Espera-se que os resultados dos ensaios clínicos randomizados em andamento, envolvendo pelo menos 1.100 participantes, possam reduzir esta incerteza para orientar a tomada de decisão.(AU)

Mais relacionados