Utilização do gás ozônio e da ozonioterapia no combate à disseminação da COVID-19 submetidas pela Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (SOBOM)

Publication year: 2020

OBJETIVO:

Esta nota técnica tem por objetivo a apresentação da avaliação técnica sobre a utilização do gás ozônio e da ozonioterapia no combate à disseminação da COVID-19.

DOS FATOS:

Trata-se do Ofício 4/2020 emitido pela Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (SOBOM) (referência 0014246625) em 26 de março de 2020, anexado ao processo 25000.045697/2020-21, gerado em 01 de abril de 2020, por meio do qual é apresentado um documento com coletânea de informações a respeito da utilização do gás ozônio para desinfecção e esterilização e para tratamento de infecção por coronavírus (COVID-19). O processo foi recebido por esta coordenação em 03 de abril de 2020.

DA ANÁLISE:

A recomendação de métodos de limpeza, desinfecção e esterilização de materiais e equipamento médico-hospitalares – assim como de superfícies, mobiliários, áreas e ambientes utilizados em atividades relacionadas à saúde – depende da finalidade para a qual se pretende utilizar esses materiais e espaços, de suas características, entre outros aspectos. A desinfecção se refere ao processo que elimina a maioria dos microrganismos causadores de doença, exceto os esporos bacterianos, e compreende níveis maiores e menores de eliminação de microrganismos, a depender da finalidade. Já a esterilização se refere ao processo por meio do qual todas as formas de vida microbiana (bactérias, vírus, fungos) são eliminadas ou destruídas, incluindo esporos bacterianos. O critério racional para a escolha do procedimento a ser empregado parte da categorização dos itens a serem desinfetados ou esterilizados em críticos, semicríticos e não-críticos, de acordo com o risco de infecção associado ao seu uso. DO TRATAMENTO DE PACIENTES DIAGNOSTICADOS COM CORONAVÍRUS (COVID19) POR MEIO DE OZONIOTERAPIA: Com o objetivo de recuperar evidências científicas na literatura médica a respeito da utilização da ozonioterapia no tratamento de indivíduos infectados pelo coronavírus (SarsCov-2), conduziu-se uma busca estruturada nas bases Pubmed, Cochrane, Clinical Trials e na plataforma de registro de estudos clínicos da Organização Mundial da Saúde.

CONCLUSÕES:

O ozônio é eficaz na inativação in vitro de uma série de microrganismos incluindo bactérias e vírus patogênicos de importância em infecção hospitalar, mas a utilização como procedimento preferencial na desinfecção ou esterilização de ambientes ou áreas hospitalares não está bem estabelecida. Há outros procedimentos que são preferencialmente recomendados por autoridades de saúde com essa finalidade. O efeito da ozonioterapia em humanos infectados por coronavírus (Sars-Cov-2) é desconhecido e não deve ser recomendado como prática clínica ou fora do contexto de estudos clínicos.

More related