Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa no tratamento de obesidade em adultos e idosos: qual é a eficácia e a segurança das práticas corporais da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) para o tratamento de obesidade em adultos e/ou idosos?

    Publication year: 2020

    As práticas corporais da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) envolvem movimento ou manipulação corporal, atitude mental e respiração com intuito de equilibrar o Qi ou energia vital. As práticas da MTC são recomendadas para promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como prevenção de agravos e doenças. As práticas corporais da MTC, no Brasil, incluem acupuntura,lian gong, chi gong (qigong,chi kung); tui-naetai chi chuan. Estas práticas foram incorporadas no SUS mediante Portaria no 971, de 03 de maio de 2006. Qual é a eficácia/efetividade e a segurança das práticas corporais da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), exceto acupuntura, no tratamento da obesidade em adultos e/ou idosos? As buscas foram realizadas inicialmente por revisões sistemáticas, mas nenhuma atendeu aos critérios de elegibilidade. Novas buscas foram realizadas em seis bases de dados sem restrição de ano de publicação, para identificar ensaios clínicos randomizados(ECR). Desta forma, foram incluídos ensaios clínicos randomizados em inglês, português e espanhol que avaliaram os efeitos das práticas MTC no tratamento de obesidade na população adulta e idosa. A avaliação da qualidade metodológica foi realizada por meio da ferramenta de risco de viés da Cochrane, feita por uma pesquisadora e revisada por outra. Nesta revisão rápida, produzida em três dias, foram utilizados atalhos metodológicos, de maneira que apenas o processo de seleção foi realizado em duplicidade e de forma independente. A acupuntura, embora faça parte das práticas da MTC, não foi incluída porque está sendo analisada separadamente em outras revisões realizadas por esta mesma equipe. De 1.435 publicações recuperadas nas bases de dados, foram incluídos três ensaios clínicos randomizados que atenderam aos critérios de elegibilidade. A avaliação metodológica dos ECR demonstrou risco de viés, de forma que os resultados devem ser interpretados com cautela. Os estudos mostraram não haver diferença nos resultados entre Taichi e a maioria dos comparadores, com relação aos desfechos IMC, circunferência da cintura, peso corporal, massa corporal, gordura corporal e sensação de fome. O único estudo sobre Qigong não apresentou resultados favoráveis quanto a sua eficácia na redução do peso corporal. Um estudo relatou não ter identificado eventos adversos com a prática de Taichi. Embora existam alguns resultados favoráveis a prática de Taichi, é pequena a evidência de eficácia e segurança da prática no tratamento da obesidade em adultos e idosos. Devido à escassez de evidências não é possível afirmar os reais benefícios do uso dessas tecnologias para o tratamento da obesidade.