Estratégias para o aumento do consumo de frutas, legumes e verduras: quais intervenções são eficazes e seguras para aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras?

    Publication year: 2020

    O problema:

    O consumo adequado de frutas, legumes e verduras (FLV) é indicado para prevenção e controle das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), responsáveis pelas principais causas de morbidade e mortalidade no Brasil. Contudo, apesar da existência de uma política de saúde persiste a dificuldade de se alcançar esse objetivo. Esta síntese rápida de evidências teve como propósito identificar estratégias que contribuem para aumentar o consumo de FLV.

    Opções para enfrentar o problema:

    A busca nas bases de dados resultou em 1.854 referências, sendo selecionadas 73 revisões sistemáticas (RS) para compor esta síntese narrativa. Na avaliação da qualidade metodológica (AMSTAR-2), uma revisão foi classificada como de confiança alta, três de confiança moderada, quatro de confiança baixa e 65 de confiança criticamente baixa. Sete opções para abordar o problema foram sintetizadas, agrupando-se as estratégias conforme sua similaridade quanto ao público e/ou local de oferta. Opção 1.

    Promoção do consumo de FLV em ambiente escolar:

    Os efeitos de intervenções com foco em estudantes ou na comunidade escolar foram avaliados em 34 RS. As estratégias, de modo geral, foram realizadas em escolas, algumas vezes com a participação dos pais, e incluíram: educação nutricional e mudanças nas políticas nutricionais e alimentares das instituições; aconselhamento e intervenções comportamentais; atividades envolvendo prática culinária e manejo de hortas; e divulgação eletrônica de hábitos alimentares saudáveis, dieta e saúde. A maioria das revisões concluiu que as intervenções foram efetivas, embora sejam apontadas incertezas quanto aos resultados de algumas delas. Opção 2. Oferta de subsídios financeiros em programas governamentais O uso de subsídios financeiros (descontos, vouchers, cupons, distribuição de alimentos) foi avaliado em 6 RS. As intervenções, que estavam relacionadas a programas governamentais, foram realizadas em pontos de venda, na comunidade ou em locais de trabalho. Os resultados foram favoráveis às intervenções, no entanto, mostraram-se pouco consistentes com relação às crianças beneficiárias do WIC (Special Supplementary Nutrition Program for Women, Infants and Children), programa amplamente implementado nos Estados Unidos. Opção 3.

    Incentivo à abertura de pontos de venda de alimentos saudáveis:

    Intervenções em pontos de venda foram analisadas por 6 RS. A maioria das estratégias se referia a abertura de mercados, supermercados, mercados itinerantes ou feiras em regiões que não possuíam esses tipos de comércios para a promoção do acesso a alimentos saudáveis. Também foram analisados os efeitos de estratégias de marketing utilizadas nos pontos de venda para promover o consumo de FLV. Embora os resultados, de maneira geral, tenham se mostrado favoráveis a essas intervenções, relatou-se também redução do consumo de FLV com a abertura de supermercados, e resultado indiferente com relação à publicidade. Opção 4. Uso de intervenções de telessaúde/eHealth para incentivar o consumo de FLV Dez RS avaliaram os efeitos de intervenções de telessaúde/eHealth, relacionadas a aplicativo de celular, computador e mensagens de texto (SMS), aconselhamento ou educação Estratégias para o aumento do consumo de frutas, legumes e verduras (FLV) nutricional, subsídios financeiros e jogos. O uso dessas tecnologias apresentou resultados positivos, no entanto, um estudo mostrou que o efeito não se manteve a longo prazo. Opção 5.

    Promoção do consumo de FLV na comunidade:

    Intervenções na comunidade foram analisadas em 12 RS, em geral envolvendo multicomponentes, incluindo educação nutricional, política nutricional, hortas, intervenções comportamentais, aconselhamento e atividades de culinária. Os resultados da maioria dos estudos foram favoráveis ao uso dessas intervenções, mas mostraram incertezas principalmente com relação à efetividade da educação nutricional. Opção 6. Promoção do consumo de FLV em locais de trabalho Cinco RS apresentaram os efeitos de intervenções nos locais de trabalho, como educação nutricional, política nutricional, distribuição de alimentos, divulgação, aconselhamento, culinária, descontos e hortas. As análises mostraram resultados positivos das intervenções, porém em uma revisão não se demonstrou efetividade de intervenções ambientais e de educação. Opção 7.

    Promoção do consumo de FLV por meio de serviços de saúde:

    Intervenções no contexto de serviços de saúde foram analisadas em 7 RS, envolvendo educação nutricional, aconselhamento, dietas específicas, e telessaúde. Embora as revisões tenham apresentado resultados favoráveis às intervenções, incertezas foram levantadas com relação à efetividade de consultas com profissionais, educação nutricional e intervenções envolvendo pares (pessoas com características e/ou em situações similares ao público-alvo, geralmente formadas para atuar como líderes).

    Considerações finais:

    Esta síntese rápida de evidências identificou uma ampla gama de estudos que mostraram a efetividade de intervenções de diferentes naturezas, realizadas em locais variados, para aumentar o consumo de FLV. Os estudos também levantaram algumas incertezas, apresentando às vezes resultados contraditórios, sendo necessário olhar para os detalhes das intervenções e os contextos de aplicação. Não são feitas aqui considerações sobre implementação e implicações relativas à equidade quanto a cada uma das opções, etapas consideradas importantes para a tomada de decisão