Meditação ou mindfulness no controle do tabagismo em adultos e idosos: qual a eficácia/efetividade e a segurança da meditação ou mindfulness no controle do tabagismo em adultos e/ou idosos?

    Publication year: 2020

    A meditação é uma prática que consiste no foco da atenção para o momento presente, de modo não analítico ou discriminativo, podendo ser dividida em dois tipos: meditação concentrativa e mindfulness. A meditação e mindfulness trazem benefícios para o fortalecimento físico, emocional, mental, social e cognitivo. Dessa forma, são indicados para estímulo do bem-estar, relaxamento, redução do estresse, da hiperatividade e dos sintomas depressivos. A prática também pode ser efetiva no tratamento do tabagismo. Qual a eficácia e a segurança de meditação/mindfulness no controle do tabagismo em adultos e/ou idosos? As buscas foram realizadas em sete base de dados sem restrição de ano de publicação. Foram incluídas revisões sistemáticas em inglês, português e espanhol que avaliaram os efeitos da tecnologia no tratamento do tabagismo em população adulta e idosa. A avaliação da qualidade metodológica foi realizad por uma profissional e revisada por outra, utilizando-se a ferramenta AMSTAR 2. Nesta revisão rápida, produzida em dez dias, foram utilizados atalhos metodológicos, de maneira que apena so processo de seleção foi realizado em duplicidade e de forma independente. De 64 revisões sistemáticas recuperadas nas bases de dados, nove atenderam aos critérios de elegibilidade e foram incluídas. A avaliação da qualidade metodológica indicou que duas revisões são de qualidade baixa e seis de qualidade criticamente baixa. Não foram encontradas evidências sobre meditação concentrativa. As revisões apresentaram resultados sobre o uso de diversas categorias de mindfulness no controle do tabagismo. A prática de mindfulness mostrou efeito sobre a cessação, o desejo e a abstinência de fumar, bem como no estado de humor de ex-tabagistas. Os estudos mostraram não haver diferença entre mindfulness e outras terapias na redução do consumo de cigarros. É importante ressaltar que a maior parte destes resultados se refere a ensaios clínicos únicos e com número reduzido de participantes. Apenas uma revisão relatou sobre a segurança da prática de mindfulness, mostrando a não ocorrência de eventos adversos. Diversas modalidades do mindfulness mostraram efeitos positivos para o controle do tabagismo com relação à cessação, ao desejo de fumar, à abstinência ao fumo, e ao estado de humor de ex-tabagistas. A segurança da prática de mindfulness e meditação foi pouco investigada. Estes achados, no entanto, devem ser interpretados com cautela, visto que a confiança nos resultados das revisões foi considerada baixa e criticamente baixa na avaliação da qualidade metodológica. Além disso, a grande diversidade de intervenções incluídas nas comparações tornou difícil a realização de metanálises, de forma que os resultados na maioria das vezes foram apresentados de forma descritiva e com frequência sem dados numéricos. Há necessidade de mais estudos, com qualidade metodológica adequada, para afirmar sobre a eficácia da prática de mindfulness no controle do tabagismo.