Meditação/mindfulness para o tratamento de ansiedade e depressão em adultos e idosos: qual a eficácia/efetividade e segurança da meditação/mindfulness para o tratamento de ansiedade ou depressão em população adulta ou idosa?

    Publication year: 2019

    A meditação é uma prática que consiste no foco da atenção para o momento presente, de modo não analítico ou discriminativo, podendo ser dividida em dois tipos: meditação concentrativa e o mindfulness, que trata da percepção e observação de estímulos. A meditação e o mindfulnesstrazem benefícios para o fortalecimento físico, emocional,mental, social e cognitivo. Assim, são indicados para estímulo do bem-estar, relaxamento,redução do estresse, da hiperatividade e dos sintomas depressivos. A busca da literatura foi realizada em cinco bases de dados, sem restrição de ano de publicação. Foram incluídas apenas revisões sistemáticas que versavam sobre os efeitos da meditação ou mindfulness na redução ou controle da ansiedade e da depressão na população adulta e idosa. A avaliação da qualidade metodológica foi realizada com a ferramenta AMSTAR 2. Por se tratar de uma revisão rápida, os processos de seleção dos estudos, extração de dados e avaliação da qualidade metodológica não foram realizados em duplicidade. A partir de 946 relatos identificados nas bases de dados, 48 foram considerados elegíveis e lidos na íntegra e 19 incluídos nesta revisão rápida. A confiança nos achados das revisões,avaliada com a ferramenta AMSTAR 2, foi considerada como baixa em 2 estudos e criticamente baixa em 17. A tecnologia mais estudada refere-se a intervenções baseadas em mindfulness, em oito revisões, e cerca de outras dez variantes de mindfulness ou meditação foram identificadas. Em pacientes com transtornos de ansiedade, duas revisões mostraram efeitos favoráveis à prática de mindfulnesse duas não identificaram diferenças.No caso de pacientes com transtornos depressivos, o mindfulnessno geral foi mais eficaz que os comparadores. Resultados positivos de meditação ou mindfulness também foram apontados para ansiedade ou depressão relacionadas a outras condições de saúde. Poucas informações estavam disponíveis sobre a segurança da prática de meditação ou mindfulness, não havendo relatos sobre eventos adversos graves. Ouso de mindfulness em transtornos depressivos mostrou superioridade em relação aos comparadores. No entanto, os resultados foram conflitantes para meditação. Houve menos estudos sobre a eficácia de meditação ou mindfulnesspara transtornos de ansiedade e os resultados a favor dessas tecnologias é menos consistente. Apesar das evidências positivas disponíveis, é necessária cautela ao avaliar os resultados pela baixa confiança na qualidade metodológica das revisões incluídas, a heterogeneidade dos estudos primários e a ausência de estudos sobre os efeitos da prática de meditação em longo prazo.