Uso de exames de imagem de tórax na COVID-19: guia de aconselhamento rápido, 11 junho 2020

    Año de publicación: 2020

    Desde sua identificação na China em dezembro de 2019, o novo coronavírus responsável pela COVID-19 evoluiu rapidamente para uma pandemia. A COVID-19 se manifesta com sintomas respiratórios inespecíficos de gravidade variável e pode exigir suporte respiratório avançado. Atualmente, o diagnóstico de COVID- 19 é confirmado por testes laboratoriais através da identificação de RNA viral na reação em cadeia da polimerase com transcriptase reversa (RT-PCR). Os exames de imagem de tórax foram considerados como parte da investigação diagnóstica de pacientes com suspeita ou probabilidade de COVID-19, nos lugares em que a RT-PCR não está disponível ou em que os resultados demoram ou são inicialmente negativos na presença de sintomas sugestivos de COVID-19. Os exames de imagem também foram considerados na complementação da avaliação clínica e dos parâmetros laboratoriais no tratamento de pacientes já diagnosticados com COVID-19. Antes de iniciar o desenvolvimento deste guia, vários estados-membros solicitaram um parecer da OMS sobre o papel dos exames de imagem do tórax em pacientes com suspeita ou confirmação de COVID-19. Uma revisão das práticas de exames de imagem em pacientes com suspeita ou confirmação de COVID-19 em todo o mundo encontrou grandes variações. Isso motivou o desenvolvimento de diretrizes globais sobre o uso de exames de imagem de tórax para apoiar os estados membros na resposta à pandemia da COVID-19. Este guia de aconselhamento rápido examina as evidências e faz recomendações para o uso de exames de imagem do tórax em pacientes agudos com suspeita, probabilidade ou confirmação de COVID-19, incluindo radiografia de tórax, tomografia computadorizada (TC) e ultrassonografia pulmonar. Destina-se a ser um guia prático para os profissionais de saúde envolvidos na evolução da atenção à COVID-19, desde o momento de chegada a um estabelecimento de saúde até a alta hospitalar. A orientação é relevante para pacientes com diferentes níveis de gravidade da doença, desde indivíduos assintomáticos a pacientes críticos...

    Más Relacionados